quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

SOBREVIVÊNCIA ( DESMATAMENTO )

SOBREVIVÊNCIA (DESMATAMENTO)
Poesia

De uma pequena e singela semente
Transformo-me em algo majestoso e belo
Fornecendo, folhas, flores e frutos diversos
Formando uma verdadeira aquarela
Desenvolvo ramificações complexas
Firmo-me profundamente
Em busca de água e alimento
Realizo trocas benéficas
Fornecendo a matéria orgânica ao solo
Em troca de vitaminas essenciais
Respiro o ar poluído
Em troca do ar puro
Realizo a fotossíntese um dos milagres da vida
Alimento os pássaros, os animais, as abelhas, os insetos
E até mesmo os ditos seres humanos
Amenizo ate mesmo as suas dores e ate curo suas doenças
Os pássaros me dão prazer
No seu majestoso cantar ao amanhecer
Os animais me fazem sentir útil
E em troca me fazem companhia
Às abelhas forneço néctar e em troca
Elas me alegram no dia a dia
Ate os insetos me dão alegria
Formando suas enigmáticas colônias
Os seres humanos em troca me fazem cortes profundos
Das minhas artérias jorram seivas
Que me faz murchar de tristeza
Estou sem defesa, procuro de alguma forma
Restabelecer-me, mais a luta é desigual
Logo vem algo em forma de calor
Que são as famosas e destrutivas queimadas
Que a tudo destrói: plantas, pássaros, animais, abelhas, insetos
E ate mesmo o próprio ser que se diz racional
Como lutar essa luta desigual?
Parar de germinar seria o ideal?
Parar de crescer e florescer?
Não fornecer alimentos?
Parar de respirar o ar poluído?
Deixar de fornecer o ar puro?
Não realizar a essencial fotossíntese?
Quem terá as respostas?
Os pássaros?
Os animais?
As abelhas?
Os insetos?
Ou os ditos seres racionais terão
E de tão arrogantes e egoístas que são nunca dirão.

Autor: Edilmar Leão - ( Picos - Piauí )
Guarulhos/Sp – 21/07/2008
E-mail : leaosantos@itelefonica.com.br
Blog : leaodopiaui.blogspot.com



Comentários enviados no RECANTO DAS LETRAS

O mundo está precisando de uma revolução para que a natureza possa se Reconstruir para isso, já vem se manifestando em algumas áreas destruindo através de enchentes, desabamentos e daí para pior... nem as manifestações solidárias muito necessárias e bem vindas, não estão servindo para que uma mudança de atitude seja realizada. Esta raiz humana nociva, vem passando de geração em geração. É preciso que nossas crianças já venham espiritualizadas e fortes, para se encarregarem pela Reconstrução que se fará necessária. Parabéns homem da terra!

Enviado por Luz Do Meu Olhar em 17/12/2008 10:42
para o texto: SOBREVIVÊNCIA (DESMATAMENTO) (T1339972)


O Homem mata a "mata"!Ele com certeza é o predador número um de tudo.Polui os mares e rios,massacra os animais para retirar literalmente seu couro.Explode montanhas para retirar metais.Mata a própria espécie para querer sempre mais.Até a Lua ele já visitou,deixando por lá muito entulho.Homem,a praga do Universo.

Enviado por Guto Russel em 17/12/2008 10:00
para o texto: SOBREVIVÊNCIA (DESMATAMENTO) (T1339972)


Comentários enviados por e-mail.
Caro Edilmar:

Obrigado por compartilhar o seu talento. A poesia é inspirada e bem
escrita.

Consumir madeira estritamente legal e recusar carnes de procedência
desconhecida (ou sabidamente de criadores situados na Amazônia) são
providências que também ajudam a fazer a diferença.

Um abraço,

André
To: andretrig@globo.com
Sent: Sunday, December 21, 2008 10:50 AM


Gostei do texto!
Vamos procurar divulgar mais seus trabalhos!

Dionísio Carvalho dionisio@riachaonet.com.br
Domingo, 21 de Dezembro de 2008 14:36:50


Douglas Nunes :: douglasmnunes@hotmail.com :: Origem: 201.59.199.146 :: 19/12/2008 :: 09:55:04 | Parabéns, meu caríssimo amigo Edilmar Leão. Lembro-me de você na Rua Velha em Picos-Piauí, na praça João Leopoldo,45 (antiga rua velha. Tua poesia é muito boa, merece destaque por que combate as queimadas e desmatamentos que o homem pratica. Esse chamado civilizado. Devemos tomar uma atitude, tomei a minha de não mais comprar carvão. Garanto a vida de uma árvore pelo menos. Parabéns pela poesia.


Jeovah de Moura Nunes :: jeovahmnunes@hotmail.com :: Origem: 201.94.181.98 :: 18/12/2008 :: 09:59:22 | Meu caro poeta Edilmar Leão. Coloquei sua poesia no site www.usinadeletras.com.br, onde possuo um espaço há muitos anos. Solicito sua confirmação de autorização. Caso não seja de seu agrado peço também me informar, que a retirarei imediatamente. Fiz isto porque adorei sua poesia. Embora a maioria da raça humana imagine a árvore como uma peça ambiental qualquer, ela não o é. Ela tem sentidos, ela é o sustentáculo do planeta e nós estamos destruindo-a vergonhosamente. E ainda queremos ir para o céu.


Leão,

São palavras comoventes, me fazem chorar quando me recordo os monstros que nós nos transformamos; como iremos fazer o caminho de volta eu não sei, mas você tem uma inspiração muito grande, não sou um perito em literatura para avaliar, mas gosto muito de cada uma das linhas porque conta um drama real que estamos vivendo todos os dias e eu imagino o quanto você não sofre, talvez como eu, ao saber disso.

A nossa arrogância será o nosso fim. É hora de abandoná-la.

Abraço

Hugo

----- Original Message -----
From: leaosantos
To..: hugopenteado
Sent: Friday, January 16, 2009 3:14 PM



Um comentário:

Jon disse...

Leão, eu estou esperando a opinião dos outros autores do blog, porque não é apenas meu, e se eles concordarem, você poderá postar algumas poesias lá. Um abraço